Tweed Deluxe 5E3 Clone – meu projeto parte 2

Prosseguindo no meu projeto do 5E3 Tweed Deluxe clone, fui comprando as peças aos poucos. Para quem curte DIY no Brasil, deve saber o quanto é complicado encontrar peças boas tentando economizar. Segui algumas dicas para economizar em itens que não influem muito no som e visual, e gastei propositalmente mais nos itens que influenciam o timbre.

É importante nesta etapa planejar bem, saber de antemão como pretende montar o circuito (se fará modificações grandes ou tentará ficar mais próximo ao original), quais válvulas pretende utilizar, se quer fazer combo ou cabeçote, etc. Isso é importante pois em muitos casos uma modificação de uma das peças poderá representar mudança em outras (e as vezes com aumento de custo). Mais detalhes nas descrições adiante.

Aqui vai uma descrição do que é necessário em peças para montar o seu Tweed Deluxe.

5E3_Turret_Board

Placa com Turrets

Placa com turrets 

Pra mim foi o começo de tudo. Existem alguns kits de amplificador, até do próprio Fender Tweed Deluxe que são feitos em placa PCB (por exemplo o da Tube Depot). Se a qualidade da placa for boa, não será possível notar nenhuma diferença em relação à placa com turrets, nem em durabilidade e muito menos em qualidade do som. Para quem está construindo seu primeiro ampli talvez seja uma opção interessante. Comprei minha placa com turrets mesmo, é uma placa com torres / arrebites onde são soldados os componentes. Assim eles ficam presos de maneira ordenada, acompanhando o desenho do layout sem montoeira de fios.

Eu comprei essa aqui, que vem da China e custa por volta de 19 dólares. Ela vem com cheiro de veneno de rato, e quando fui limpar com álcool a tinta que a encobre dissolveu em algumas partes e ficou meio manchada a placa, mas nada de mais. Se preferir comprar uma placa ninja original que custa muito mais e é difícil encontrar, be my guest. Só não vale comprar a placa já com os componentes prontos! Isso é roubar no jogo!

Outra coisa: no Brasil, dificilmente encontramos os capacitores axiais (deitados, com um terminal em cada extremidade). Os encontrados aqui são em pé, com os dois terminais na base (mais usados em placas PCB). Isso significa que os capacitores grandes ficam no limite dessa placa com turrets e exigem cuidado com a solda para ficarem bem presos. Os capacitores menores (de cátodo) tiveram que sofrer uma adequação técnica (gambiarra), e foram soldados nos resistores que correm em paralelo, daí os resistores ficaram presos nos turrets. Ficou bom! Faça isso ou então arrume / monte uma placa com turrets mais próximos uns dos outros.

Chassi Tweed Deluxe

Chassi Tweed Deluxe vendido no eBay

Chassi 

Foi uma das últimas coisas que comprei, fui montando tudo em uma placa de papelão e depois transferi para o chassi no final. Se fizer isso, fique esperto para não soldar as conexões dos soquetes das válvulas, pois eles entram pelo lado de fora, então você teria que refazer todas as conexões… claro que eu não fiz isso, seria muita idiotice… 😉

O importante aqui é saber se precisará um chassi para o combo (é o padrão para o 5E3) ou para fazer um head. No combo as válvulas (embaixo) ficam do lado oposto do painel (cima). Num head provavelmente você terá o painel na frente e as válvulas para cima dentro do gabinete. Chassis prontos são vendidos na internet, dos produtores de kits ou no eBay, como esse aqui, em aço cromado, mas o custo fica um pouco salgado. Existe a opção de pedir em um serralheiro, mas dificilmente ele vai cortar os furos para você com cuidado.

Se tiver alguma habilidade, faça com chapa de latão ou alumínio, assim fica mais fácil de você mesmo fazer os furos para os soquetes, switches e potenciomêtros (ou mesmo modificar depois). O mais fácil e barato é levar as medidas do chassi em uma casa de calhas, eles fazem em alumínio (o meu acho que tem 1,5mm ou 2mm) e fica fácil de você mexer depois. Lembre-se que o alumínio não tem o brilho do cromado, você pode mandar cromar depois ou deixar assim. Eu penso em mais tarde fazer um faceplate específico, cromado, e colocar por cima.

Depois de montar os componentes na placa com turrets, dá pra ir montando o resto direto dentro do chassi.

Atenção: muitos dos chassis que são vendidos prontos na internet seguem o padrão do original, e portanto têm um buraco grande onde encaixava uma parte do transformador de força. Nos transformadores atuais, geralmente eles ficam em pé sobre o chassi e não precisam desse buraco.

Transformadores

Neste projeto você precisará de dois transformadores, um de força (Power Transformer, ou PT) e um de saída (Output Transformer – OT). Mandei fazer os meus na Transformadores Líder, em São Paulo (Rua dos Andradas). Inicialmente, passei as especificações erradas, e a voltagem ficou muito mais alta do que deveria. Depois voltei lá e refiz o primário e secundário do transformador de força.

Dica: antes de mais nada, meça a voltagem (se souber o que está fazendo) das tomadas de sua casa. Existem grandes variações conforme a região do país: 110v, 115v, 120v, 127v ou 220v, 230v, 240v… Se você faz o transformador para 120 volts no primário (como foi o meu caso inicialmente) e depois a tomada passa 127v (chegando sempre a 132v), já tem aí mais uns 5% de diferença, que no secundário causará um impacto. Se fizer para 110v pior ainda. Se encomendar um transformador, terá a chance de pedir bivolt (127-220), com um custo adicional.

Sugiro usarem as especificações desse aqui: http://www.classictone.net/40-18078.html
Podem baixar direto aqui no Growl.
Na primeira vez eu errei e usei as specs de outro da ClassicTone (não vou nem postar o link aqui pra não confundir) que tem uma voltagem muito alta pra esse ampli.

Se pensar em fugir da originalidade e seguir com outro tipo de válvula, preste atenção na voltagem que precisará ter. Muita gente coloca válvulas 6L6 nesse ampli, que pedem mais voltagem que as 6V6 originais.

Para o transformador de saída, você precisará de um de 8K ohm para 8 ohm (e/ou outras saídas para 4 e 16).
Usei as specs desse aqui: http://www.classictone.net/40-18022.html
Podem baixar facinho aqui no Growl.

Transformadores com configurações especiais podem sair caros, paguei quase 300 reais nos dois, mas… é consenso entre todos que constroem amplificadores valvulados que eles são a parte mais importante na qualidade do som. Se é pra economizar, não é com transformadores.

Outro bom fabricante de transformadores é a EASA.

Aqui o contato da Líder Transformadores, podem falar com Gilberto ou Adriano e será bem atendido.

6V6_TungSol

Válvula 6V6GT Tung-Sol

Válvulas

Taí outro grande influenciador do timbre. Você pode economizar em válvulas se quiser começar barato e eventualmente fazer um upgrade mais tarde.

Quem lê o blog sabe que eu sempre recomendo válvulas selecionadas. Isso ajuda a tirar a sorte da jogada e encontrar umas válvulas legais. Se possível, ao menos compre as válvulas do power balanceadas (as duas com resposta semelhante). Esse circuito 5E3 é push-pull e as válvulas trabalham melhor com variações parecidas nas duas.

Bom, aqui você vai precisar das válvulas:
5Y3: válvula retificadora. Se preferir e quiser mudar para outra válvula (tipo GZ34) ou fazer a retificação com solid state (diodos), verifique as alterações necessárias de voltagem no transformador antes de produzir).
12AY7: se for seguir o original, o primeiro estágio do préamp passa por essa válvula. É da família da 12AX7, mas com menos ganho. Muitos substituem pela 12AX7, mas sempre comentam que perdem boa parte do clean.
12AX7: o segundo estágio é o de inversão de fase, e leva uma 12AX7.
6V6 (duas): você precisará de uma par de válvulas 6V6. Recomendo as Tung-Sol 6V6GT para melhor timbre. Atenção pois elas não devem trabalhar muito fora das especificações, o 5E3 é um ampli que já fica acima do normal para elas, mas não pode ser muito acima (por isso refiz o transformador). Você pode usar 6L6, mas precisará de mais voltagem. As 6V6 trabalham nesse ampli em torno de 360 volts, as 6L6 pedem uns 450 volts. Uma alternativa interessante é usar as 6V6 da JJ, que aguentam voltagens mais altas – mas, segundo dizem, tem o som mais próximo das 6L6.

Componentes eletrônicos e outras peças

Esse ampli tem uma pequena complicação na hora de arranjar os componentes, já que diferentes versões e modificações trazem componentes diferentes. Isso significa que para você montar um ampli semelhante ao original você provavelmente acabará estudando algumas modificações possíveis.

Existe muita polêmica em relação a quanto a marca / suposta qualidade dos componentes afeta a qualidade final do som do amplificador. Aqui vão minhas considerações:
– A qualidade da montagem é mais importante que a qualidade dos componentes, ou seja, aprenda a soldar e fazer soldas boas. Teste todas as conexões, puxando para ver se não soltam e medindo a condutividade. Atenção para os “cabelinhos” dos fios… quebrei a cabeça porque um cabelinho estava encostando no chassi e o ampli não funcionava. Use shrink tubing (termoretrátil) onde precisar e use fios blindados nas entradas de sinal da guitarra.
– A tolerância dos componentes ajudará a deixar seu amplificador mais próximo dos valores nominais. Isso é especialmente verdade para os capacitores, que não podem ser medidos. Para os resistores, você compra 5 de cada e mede para pegar o que tiver o valor mais próximo. Mesmo assim, estar mais próximo aos valores nominais não significa muito, já que muitos mods para melhorar o som implicam em alterar levemente as medidas dos capacitores e resistores.
– Os circuitos elétricos, principalmente de um amplificador push-pull, são um equilíbrio dinâmico, ou seja, um componente afeta o trabalho dos que estão à sua volta. Li em alguns lugares que se você pretende mudar um capacitor para um teoricamente melhor, tipo Sprague Atom, só vai notar alguma diferença significante caso troque TODOS os capacitores do circuito.
– Sinceramente, deixe para colocar componentes mais caros em um próximo amplificador, quando já souber montar tudo direitinho, não arriscar tanto danificar os componentes. Componentes baratos e que atendem a necessidade são uma das principais vantagens do DIY.

Segue aqui a lista de materiais (B.O.M.) que preparei para esse ampli, pegando a da Hoffman Amps como base, modificando algumas coisas e traduzindo (essa vale ouro!): Parts List 5E3

Alto-falante (se for montar a versão combo)

Jensen P12R

Jensen P12R

Originalmente, esse amplificador vinha com um alto-falante Jensen 12″. Assim como outras partes desse amplificador, cada um monta de um jeito. Minha recomendação é que utilizem um alto-falante de 12″ estilo vintage, de uma marca boa: Jensen, Celestion, Eminence, ou comprem aqui no Brasil um do Acedo Audio ou Pedrone Golden Tone.

Eu usei um Celestion Vintage 30 que recomprei do meu amigo do Blackstar.
Fica a critério – se for fazer uma versão cabeçote e caixa, pode montar a caixa com outras combinações.

Não recomendo um alto falante maior que 12″, pois esse ampli tem graves bem acentuados. Um falante maior vai deixar muito grave e embolado.

Gabinete

Gabinete fica para um próximo post!

Mandem suas perguntas nos comentários abaixo, que tento ajudar no que puder!

23 comentários em “Tweed Deluxe 5E3 Clone – meu projeto parte 2

  1. boa tarde brother!

    Primeiramente parabéns pelos post, estou montando um 5e3, ja comprei todos os componentes menos as válvulas, estava pesquisando e vi que voce optou pelas valvulas 6V6 vou fazer isso tb, os transformadores segue a mesma configuração da classic tone que vc postou, mas ai surgiu uma duvida os transformadores são de 20watts, meu amp seguindo o circuito original terá quantos watts na real?

    Obrigado desde ja!

    • Olá amigo, se não me engano o projeto original tem aproximadamente 18W. O fato do transformador de saída ter 20W significa que ele tem potência de sobra (não muito, na verdade) para aguentar a saída com tolerância pra cima. Certifique-se que o transformador de força seja com primário 127v (ou a voltagem da parede de sua casa / estudio) – acho que eu editei o post, mas originalmente eu tinha errado o trafo para um igual ao original, com primário de 110v – isso faz aumentar todas as voltagens do secundário… eu acabei refazendo o trafo pra 127v.

  2. Meu caro, sei que o post é antigo, mas eu comecei a fazer um desse também. Você tem as medidas do gabinete? Vi que o falante é mais pro lado. Abração!

    • Olá amigo! Muito legal ver que a galera está seguindo meus posts e fazendo os projetos. Fico feliz pacas. Eu segui mais ou menos esses planos aqui: https://dl.dropboxusercontent.com/u/7505544/amps/5E3%20DELUXE%20STYLE%20CABINET.pdf
      Comentários:
      – atenção ao tamanho do transformador, no meu caso ele era muito grande e muito perto de uma das laterais, que me obrigou a fazer um rebaixo na moldura do baffle frontal.
      – o recorte da parte superior (onde fica a face dos controles) faz a curva muito próxima dos botões. Se usar o chassi no tamanho original, provavelmente o ideal seria fazer a furação mais pra dentro, pros controles não ficarem tanto na beirada dos lados esquerdo e direito. Ou então faz o recorte dessa curva mais largo (lembrando que os parafusos de fixação teriam que ser movidos).

  3. Montei o meu 5E3 ano passado, faltou apenas aplicar o tweed por preguiça.
    Na minha opinião o melhor amp de todos (tenho mais uma dúzia de valvulados).
    Não tem recurso extras, é completamente tosco, mas é o mais “musical” de todos.
    Em alto volume tem uma compressão muito agradável.
    Creio que o maior segredo desse brinquedo é usar o Jensen P12Q original – completamente diferente dos atuais.
    Recomendo garimpar no e-bay para encontrar um da década de 50, sempre aparece algum em bom estado (evitar os de cone liso).

    • Olá Sérgio, obrigado pelo comentário. Realmente é um ampli interessante, produz muitas variações conforme se mexe nos knobs e tem um timbre bem particular. Ainda estou devendo postar um vídeo com o som dele… falta tempo nessa vida!

  4. Cara, ainda nem comecei a montagem. Comprei alguns capacitores mas nem chegaram ainda! Mtu massa o video e seu projeto parece dar mtu som cara! Quando eu começar montar realmente aviso você! abraços

    • Fala, amigo! Estou sem tempo total, logo mais tento postar mais um sobre o passo-a-passo. Você está montando o ampli? Como está indo?

  5. E ai parceiro, tudo bem? Alguma novidade no seu ampli? Estou ansioso por mais um tópico. Valeu!

    • Opa, tou meio sem tempo… mas ia precisar do ampli no fim-de-semana e consertei um potenciômetro que eu tinha quebrado com o hashi! Chegou minha plaquinha com o logo da Fender, muito linda! Preciso de uns preguinhos bem pequenos para prender.

  6. Então amigo, eu li seu post e to feliz em encontrar um cara que me ajude! Vou montar aos poucos, meu problema tipo, não é encontrar as peças, tipo, é saber o tipo por exemplo de resistores, tipo se deve ser de filme metalico ou de metal e etc. o mesmo também acontece nos capacitores. Isso que esta me quebrando, mas a sua lista é sensacional! Algo difícil de se encontrar e que quem tem não disponibiliza muito!

    • Será um prazer ajudar no que puder. Olhe no layout (pode ser no original ou no Ceriatone, por exemplo), os capacitores que tem o sinal positivo e negativo são os que devem ser eletrolíticos, e por isso devem ser soldados nessa orientação. Se colocar ao contrário viram um show pirotécnico que vai deixar sua casa cheirando mal por um mês. hahaha
      Se não me engano os eletrolíticos são só de um tipo, metálico, provavelmente. Para os outros, pode comprar de poliéster sem erro. Se quiser gastar uma grana com isso (não acho que vale a pena para o primeiro projeto), compre os eletrolíticos Sprague Atom e os outros pode buscar de papel em óleo (PIO – Paper in Oil).
      Para os resistores, a principal diferença entre eles é se são de 1/2 watt (os pequenos) ou de 5W / 10W, que são maiores. Os códigos de cores são os mesmos. Também, se quiser chutar o balde, procure resistores Sozo… será a diferença de pagar 1 real por cinco resistores ou 3 dólares mais frete cada um… rs.
      Quando comprei tudo, levei essa lista de materiais na Dabi e o cara separou tudo pra mim, dei uma caixinha pra ele. Sossegado!

      • E ae parceiro blza? Aindo meio sem tempo pro projeto mas to oragnizando a lista pras compras aqui. Se eu não me engano a Sozo fabrica apenas capacitores. Nos três eletrolíticos maiores, a ceriatone marcou como 16uF 450V. Tem problema se forem de 475V? Valeu!

        • Opa, você está certo sobre a Sozo! Pra você ver como não me importei com isso mesmo… hahaha. A maioria dos projetos usa os 16uF 450V. Eu estou usando 20uF 450V (comprei aqui no Brasil mesmo), dizem que é uma variação aceitável. Quanto aos 475v, capacidade de aguentar voltagem maior não é um problema, só não pode ser menor.
          Os capacitores pequenos você vai encontrar de 25uF / 25v nos schematics (se não me engano) mas bem mais fácil encontrar 25uF / 50v nas lojas.

  7. Cara, sem dúvida o melhor post que já li para ajudar os handmakers iniciantes! Sua lista foi o que faltava para fazer com que eu desse a largada! muito obrigado! E se acostume comigo por aqui pois vou te encher bastante ainda! rs

    • Opa! Obrigado, meeeesmo! Faço o blog porque gosto. Fique à vontade para “encher”, o que eu souber, te ajudo, assim como alguns amigos me ajudaram, especialmente o Fábio Cruz (conheci quando comprei um clone de pedal TS-808 dele e virou brother) e o Zé Fonseca do site http://www.valvulados.com.br. Aliás, vale a pena entrar no site dele e postar as perguntas no forum, o pessoal sempre ajuda. Boa sorte!

      • Cara, faz tempo que tenho tentado entrar em contato com o José Fonseca e não consigo, já me registrei, mandei e-mail e nada. obrigado mesmo cara, pra quem ta começando nesse mundo é muito bom alguém que ajude. Minhas ultimas construções foram um pedal (Proco Rat) e uma Guitarra tele, esta ficou legal, agora quero me aventurar em um amp. Ainda me restam algumas dúvidas, tipo qual tipo de resistores e capacitores, quais são legais e tal. quero montar este amp com peças legais pois vou usa-lo na igreja e em pequenas gravações. abraços!

        • Já tem mais experiência que eu! hahaha Eu montei uma Strato antes, e fiz uns mods no wah wah. Ia construir pedal, mas fui direto para o ampli. Algo que me ajudou muito (não sou engenheiro elétrico nem eletricista) foram as apostilas do curso de radiotécnica de valvulados do Instituto Monitor. Encontrei os 10 volumes na internet e li tudo… Se quiser me fale e procuro aqui, te mando os PDFs. Mas acho que não é difícil achar na internet. O livro do Zé Fonseca ajuda bem também (apesar que li quando já estava no final da montagem).

          • Legal cara, o que você puder mandar eu agradeço. Onde comprou sua peças pra essa máquina? Já comprou da tubes and more? e Qual projeto você seguiu?

          • Fala, Thiago, não, nunca comprei na Tubes and More. Já comprei da Watford Valves e para esse ampli eu comprei na Doug’s Tubes, pois tinha um amigo indo para os EUA. Watford é excelente, mas pode ficar bem caro com frete e o imposto absurdo de UK. Doug’s tubes é bom mas tive uma treta com ele e não vou comprar mais lá. Para meu próximo ampli, estou comprando no eBay, algumas válvulas usadas mas testadas, algumas shughuang, e gostei de um vendedor chamado VivaTubes.
            Nos posts dou mais detalhes onde comprei cada peça, mas em resumo: chassi mandei fazer (loja de calhas), transformadores na Líder Transformadores, válvulas na Dougs Tubes, placa com turrets no eBay; soquetes de válvula, knobs, lampada e baioneta e essas coisas mais importantes ou originais eu comprei na Multi Comercial (Sta. Ifigenia / Timbiras); componentes simples como resistores e capacitores, potenciometros, fios, etc comprei a maioria na Dabi, uma coisa ou outra em outras lojas por lá.
            Alto-falante eu recomprei o Celestion que eu tinha trazido de Londres e vendido para um amigo. Gabinete mandei fazer num marcineiro. Tecido para o gabinete comprei na Cinerama. Tecido para a frente comprei no eBay (ainda não chegou), assim como a alça. Rodinhas (sim, fiz com rodas ao inves de pé fixo) comprei na rua Paes Leme.
            Plaquinha com logo ainda está para chegar, mas comprei no Mercado Livre de um cara que parece excelente.
            Esqueci de algo?

          • Segui alguns projetos diferentes… parti do original (schematics e layout). Enquanto montava, mudei o switch de terra para ser um standby, então segui o layout (para essa parte) da Ceriatone. Fiz uma modificação de capacitores sugerida pela Hoffman amps, fui seguindo a lista de materiais deles. E peguei muita referência e passo-a-passo para testar o ampli no guia da Tube Depot que está no post. No fim, para cada solda eu verificava em 3 ou 4 layouts diferentes para ter certeza… rs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *