Pedais de Delay, Reverb e Echo

O que são, para que servem, por que devo ter um e qual?

Perguntas de quase todo guitarrista em algum momento…

HardWire RV-7 StereoReverb

HardWire RV-7 StereoReverb

Bom, vamos começar pelo básico, o reverb. O reverb é um efeito muito comum, pois vem embarcado em boa parte dos amplificadores conhecidos. O efeito do reverb, como o nome diz, é adicionar reverberação ao som, dando uma tridimensionalidade ao som da guitarra. Em português: é como se simulasse um ambiente e os reflexos do som nas paredes. É muito comum alguns efeitos de reverb digitais, por exemplo, oferecerem settings como “Room” (sala), “Hall” (Salão) e até coisas como “Bathroom” (Banheiro) e “Church” (Igreja), simulando a reverberação do som nesses locais.

Os reverbs mais simples, porém nem por isso piores, são os reverb de mola (Spring Reverb), que criam o efeito captando o sinal que passa pela vibração de molas. Um dos primeiros tipos de reverb usado em estúdios é o plate reverb (de placa?) e capta a vibração de uma chapa metálica.

Existem pedais específicos de reverb, como o Boss RV-5, o Hardwire RV-7, o TC Electronics Hall of Fame, o EH Holy Grail e o meu preferido (ainda não toquei, mas só de ouvir) é o Electro-Harmonix The Cathedral.

Em maior grau, o reverb se torna um eco, mas costumeiramente mais confuso, com mais reflexos de som.

Um eco mais puro pode ser encontrado nos pedays de Delay. Os pedais de delay (delay significa ‘atraso’ em tradução literal), e repete de forma mais direta o som original (sem bagunçar ou reverberar tanto). Os pedais de delay costumam ter regulagens de tempo (ou QUANDO o eco entrará) e decay (a queda da onda do eco, se vai reduzindo o volume ou se mantém). Alguns delays digitais oferecem regulagem do tipo de delay (simulando diferentes tipos) e taxa de repetição (quantas vezes o eco se repetirá). Lá no começo (anos 60 ou 70?), os primeiros efeitos de delay eram obtidos através de Tape Echo, equipamento que conta com um rolo de fita magnética que grava o som e lê em seguida, criando as repetições. A Fulltone ainda vende o Tube Tape Echo, mas custa míseros 1.100 dólares nos EUA.

Em linhas gerais, os pedais de delay analógico possuem um som mais encorpado, um eco mais natural e decay progressivo. Costumam ter tempos de delays menores (alguns com 600 milisegundos) e tem menor versatilidade que os digitais (de tipo de delay e outras regulagens). Alguns dos mais famosos pedais de delay analógico são o MXR Carbon Copy, o Electro-Harmonix Deluxe Memory Man (e suas variantes Memory Boy, Memory Toy, etc) e BBE Two Timer. Vale dar uma olhada no handmade brasileiro da MGMusic, o That’s Echo Folks!.

 

Boss DD-20 Giga Delay

Boss DD-20 Giga Delay

Os pedais de delay digital são mais versáteis pois além de regulagens específicas e delays mais prolongados,  possuem mais regulagens como Tap Tempo (você passa o tempo das repetições) e até escolha do tipo de delay, sendo os mais comuns slapback (tempo de resposta curto, deixa o som da nota mais percussivo), space/spatial (mais amplo), reverse (toca ao contrário, como no solo de Give it Away) além das simulações de Tape Echo e Analógico. Costumam funcionar também como um looper / loop station, gravando até 40 segundos de música e sobrepondo as camadas. Dos digitais, os mais comuns são o Line 6 DL-4, os Boss DD-20 Giga Delay e DD-7 (além dos antigos DD-2 e DD-3), o TC Electronic Nova Delay ND-1 e o Hardwire DL-8.

Aqui um vídeo interessante, que o autor compara os reverbs e delays analógicos e digitais, apesar que ele não entra muito no delay.
1’14”: Reverb de molas
3’53”: Delay analógico
8’18”: Delay Digital

 

E aqui uma lista interessante de vídeos de pedais de reverb e delay:

Hardwire DL-8
Boss DD-7
Line6 DL-4
Boss DD-20 Giga Delay
Electro Harmonix The Cathedral
Electro Harmonix Holy Grail Plus

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *